domingo, 21 de janeiro de 2018

JEJUM DE DANIEL, SERÁ QUE PRECISO?



RESPONDA COM SINCERIDADE: VOCÊ TEM ALGUMA DESTAS PERGUNTAS?


Porquê alguém vive irritado? Fala o que não deve, briga/discute com os outros sem motivo?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém guarda rancor por tudo e por nada, fica ressentido?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém “vive” comentando, chorando os problemas do passado, das decepções e dos problemas e dificuldades ao seu redor?
A razão é a ausência do Espirito Santo.
Porquê alguém se desespera por coisas mínimas?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém se isola de todos, desconfia de todos?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém vê tudo com maus olhos, com malícia?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém quer que todos façam sua vontade, quer impô-la aos outros?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém não desfruta do que tem, da família, da saúde, da fé, das Reuniões práticas na Igreja Universal?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém é inseguro, não sabe o que quer, é indefinido?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém não se submete às autoridades espirituais por obediência, fé, ou por temor a Deus?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém, que mesmo que viaje, tenha dinheiro, se realize ou vá a várias festas, nada lhe satisfaz?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém se deixa influenciar por aqueles que não creem, pelo ponto de vista dos incrédulos?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém tem medo da morte?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém tem medo de bruxarias, feitiçarias, olho grande e inveja?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém tem medo dos demónios, de satanás?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém tem medo de perder o que tem, família, saúde, bens, posição?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém não entende a Palavra de Deus, lê, mas não A entende? Embora estude a Bíblia, não a entende?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém tem vergonha de assumir publicamente sua fé no Senhor Jesus, de evangelizar?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém não tem prazer de ajudar aos outros, ao próximo, dar a outras pessoas a Oportunidade de conhecer a Verdade, de trazer pessoas à Igreja?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Porquê alguém que participa das Reuniões na Igreja Universal, não deseja participar do Jejum de Daniel?
A razão é a ausência do Espírito Santo.
Agora você sabe porquê ainda é criatura e não Filho.
Romanos 8.14-16:
“Pois todos os que são guiados pelo Espírito de Deus são Filhos de Deus.
Porque não recebestes o espírito de escravidão, para viverdes, outra vez, atemorizados, mas recebestes o Espírito de adoção, baseados no qual clamamos: Aba, Pai.
O próprio Espírito testifica com o nosso espírito que somos Filhos de Deus.”
O Espírito do Deus-Vivo fez você entender o que você tem que fazer;
Deus é contigo, e eu também.
Eia!

quarta-feira, 17 de janeiro de 2018

Vamos Meditar no Salmo 100 ?

Imagem relacionada



1 Celebrai com júbilo ao SENHOR, todas as terras.

2 Servi ao Senhor com alegria; e entrai diante dele com canto.

3 Sabei que o Senhor é Deus; foi ele que nos fez, e não nós a nós mesmos; somos povo seu e ovelhas do seu pasto.

4 Entrai pelas portas dele com gratidão, e em seus átrios com louvor; louvai-o, e bendizei o seu nome.

5 Porque o Senhor é bom, e eterna a sua misericórdia; e a sua verdade dura de geração em geração.

Salmo 100

Deixo aqui uma pequena meditação aos amigos e amigas. Como tem sido o seu tempo de servidão ao Deus Altíssimo ? faça uma pequena ou profunda analise e descubra a resposta, fiquei a vontade para deixar uma comentário ou não aqui no blog.

Esse servir a Deus, seja você um oficial, um ministro, um líder religioso, enfim, uma pessoa que se diz além de filho de Deus um servo, de fato você serve com alegria ? ou apenas como um peso de uma função, como quem vai ao trabalho semanalmente para passar o cartão, para uma rotina, ou até mesmo com medo de comentário de que você não é mais o mesmo hein?! Avalie a sua real situação como servo ou serva !

Primeiro ponto, você de fato tem reconhecido o Senhor como Deus ? ou adora outros deuses, no caso se tiver outros motivos você abre mão da obra de Deus, abre mão de ir a igreja, de estar na presença de Deus? pense...  Ele é o seu Pastor ? É Ele que tem guiado seus passos, tem dado rumo a sua vida, ou você faz o que bem quer... na hora que quer... e quando dá pra fazer... ??? pense... a ovelha segue o seu Pastor! 

Você tem prazer, alegria ao ir a casa de Deus ? pois é o minimo, servindo com cargos ou não, pelo menos você tem que ter prazer, ao estar na casa do seu Senhor, tem que sentir até mesmo falta... um vazio quando não vai buscar... geralmente até se sentir mal, por não ter ido e logo em seguida corrigir para que não se repita e não se acostumar com a ausência na casa do Pai ! Isso é ter GRATIDÃO, por tudo que Ele é ! tudo que Ele faz! tudo que Ele tem sido na sua vida! e reconhecer que sem Ele você não é nada ! Por isso sacrifica o seu tempo para adora-lo na casa d'Ele. 

Deus é bom, pela misericórdia que estamos aqui, e não podemos esquecer que devemos transmitir essa mensagem para as gerações, Ele ti chamou não apenas, para trazer essa alegria e liberdade a você, mas para que também, você e eu levássemos essa mensagem de fé, amor e esperança para todos ! Não atoa o blog está aqui mais um ano, forte abraço do seu amigo Nelsinho A. Quintanilho que Deus possa ti usar muito mais, e que você valorize o seu chamado com muita alegria e gratidão !

segunda-feira, 15 de janeiro de 2018

UM DOMINGO QUASE IGUAL

Resultado de imagem para um domingo quase igual

Mamãe estava muito concentrada fazendo o almoço de domingo quando papai convidou-me para ir com ele comprar guaraná.

Saímos com duas sacolas cheias de vasilhames. Eu estava ficando animado, pois estávamos chegando perto do bar. Para minha surpresa, ele passou direto, sem parar, parecendo não ter visto o bar.
Então perguntei: – Pai, você não vai comprar aqui? 
E ele respondeu: – Vamos mais adiante. 
Seguimos mais alguns metros e chegamos perto da padaria, que fica bem em frente a adega. Fiquei intrigado quando tranquilamente ele seguiu em frente como se não tivesse visto nem uma nem outra.
Tornei a perguntar: – Pai, nós não vamos pegar os refrigerantes aqui? 
Pacientemente, respondeu-me: – Só mais um pouquinho e nós vamos chegar ao mercado. 
Confesso que estava ficando chateado e bravo, pois tínhamos passado por três lugares diferentes que vendiam guaraná e o meu pai quis andar mais só para comprá-los ali.
Ao entrarmos no mercadinho, Sr. Silva nos deu um sorriso muito gostoso e espontâneo. A primeira coisa que perguntou foi se a mamãe havia melhorado do resfriado.
Prestativamente foi pegando nossas sacolas e colocando nelas os refrigerantes. Meu pai quis saber notícias da mulher dele, dona Maria. Foi informado de que ela estava arrumando a casa e preparando o almoço, pois o domingo era o único dia da semana em que não trabalhavam o dia todo. Os dois conversaram mais um pouco e então pude observar a amizade e o carinho que respeitosamente tinham um pelo outro.
Ao despedirem-se, Sr. Silva fez um gesto carinhoso na minha cabeça, olhou-me com ternura e comentou com meu pai: – Como está bonito este garoto! Você deve ter muito orgulho dele! 
Saímos do mercadinho e voltamos para casa. No caminho comecei a pensar e responder no lugar do meu pai à pergunta que eu mesmo havia lhe feito enquanto íamos. O preço daquele refrigerante era mais ou menos igual em qualquer um dos lugares, só que ali, naquele mercadinho, tanto eu quanto meu pai sentimo-nos reconhecidos como seres individuais, pessoas distintas e diferentes do mundo.
Naquele domingo aprendi uma lição especial; igual em conteúdo, em rótulo e em tampinha só mesmo o guaraná.
Eu sou alguém especial, tenho minha individualidade e devo valorizar-me por isso, fazendo a mesma coisa com as outras pessoas. Isto é muito legal e faz com que nos sintamos muito bem.
A ninguém devais coisa alguma, senão o amor recíproco – Romanos 13.8 
Autor desconhecido.

quinta-feira, 11 de janeiro de 2018

Vamos ler o Salmo 96 ?

Resultado de imagem para salmo 96


1 Cantai ao SENHOR um cântico novo, cantai ao SENHOR toda a terra.

2 Cantai ao Senhor, bendizei o seu nome; anunciai a sua salvação de dia em dia.

3 Anunciai entre as nações a sua glória; entre todos os povos as suas maravilhas.

4 Porque grande é o Senhor, e digno de louvor, mais temível do que todos os deuses.

5 Porque todos os deuses dos povos são ídolos, mas o Senhor fez os céus.

6 Glória e majestade estão ante a sua face, força e formosura no seu santuário.

7 Dai ao Senhor, ó famílias dos povos, dai ao Senhor glória e força.

8 Dai ao Senhor a glória devida ao seu nome; trazei oferenda, e entrai nos seus átrios.

9 Adorai ao Senhor na beleza da santidade; tremei diante dele toda a terra.

10 Dizei entre os gentios que o Senhor reina. O mundo também se firmará para que se não abale; julgará os povos com retidão.

11 Alegrem-se os céus, e regozije-se a terra; brame o mar e a sua plenitude.

12 Alegre-se o campo com tudo o que há nele; então se regozijarão todas as árvores do bosque,

13 Ante a face do Senhor, porque vem, porque vem a julgar a terra; julgará o mundo com justiça e os povos com a sua verdade.

Salmo 96

terça-feira, 9 de janeiro de 2018

Quem você é nas redes sociais?



Todos os dias, por volta das 20 horas, Bruna*, de 27 anos, acessava seu perfil no Facebook para conversar com um rapaz com quem ela tinha feito amizade pela rede social. Ficava horas teclando com ele sobre interesses pessoais, hobbies, trabalho, relacionamentos, etc. 
Meses antes ele tinha lhe enviado uma mensagem privada para solicitar amizade dizendo: “vejo você todos os dias no parque da cidade e a achei muito bonita. Vamos conversar?”
Mesmo sem saber quem era esse rapaz, Bruna o adicionou aos seus contatos. Em seguida, descobriu que ele sempre via as fotos que ela postava enquanto fazia sua caminhada vespertina no parque com as amigas. Ingenuamente, pensou: “é só mais um amigo que faço pela internet”.
Três meses depois, Bruna descobriu que o rapaz era um impostor que havia se aproximado dela para obter seus dados e com eles aplicar um golpe em várias lojas. Hoje, ela aprendeu a lição: não divulga mais sua rotina diária, tampouco mantém contatos com desconhecidos no Facebook.
Casos como esses são comuns por causa da exposição exagerada das pessoas nas redes sociais e da necessidade que elas têm de fazer novas amizades virtuais. Enquanto muitos fazem dessas plataformas um diário de vida, outros não mostram quem realmente são.
A psicóloga e escritora Gisele Meter explica que é comum o indivíduo manipular suas publicações quando se expõe na rede social a ponto de elas tornarem-se parcial ou totalmente falsas. “Quando alguém manipula a própria realidade faz isso para ser aceito. É uma construção consciente, porém fantasiada de um eu imaginário que a pessoa quer que os outros vejam. Essa manipulação satisfaz quem a cria, pois aplaca um pouco o sentimento de rejeição. Isso se chama cauterização da mente, que é quando a pessoa fantasia tanto sobre aspectos de si mesma que acaba acreditando na própria mentira”, analisa.
Sendo assim, tudo o que você faz na internet tem um interesse, seja ele particular, seja coletivo. Uma postagem sobre um assunto da moda pode ter a intenção de captar mais seguidores para seu perfil, por exemplo. Uma bajulação em um comentário pode significar mais que um elogio sincero e expressar algo diferente do que você pensa. As curtidas que você tanto faz questão de receber em um post podem mostrar que você talvez esteja buscando ser mais popular. Já selfies publicadas diariamente podem fazer você parecer uma pessoa egocêntrica.
Todo o seu comportamento on-line vai expressar algo, que nem sempre condiz com aquilo que você pretende demonstrar. Por isso, é fundamental sempre refletir sobre sua intenção antes de fazer qualquer postagem.
Segurança na web
As informações que você disponibiliza sobre sua vida nas redes sociais podem lhe gerar grandes prejuízos. Uma pessoa mal-intencionada, por exemplo, pode roubar a sua identidade e tentar se passar por você. Quanto mais dados ela tiver obtido por meio do seu perfil verdadeiro, mais convincente ela será ao usar um fake.
O especialista em segurança nas redes Adriano Cansian, que também é professor da Universidade Estadual Paulista (Unesp), confirma que é preciso haver equilíbrio nas postagens para não favorecer o furto de identidade. “Lembre-se de que mesmo que você faça uma postagem em um grupo reservado, pessoas daquele grupo podem repassar informações para outros, estes para outros e assim por diante. De forma geral, você deve pensar: ‘eu colocaria essas informações em um cartaz? Eu colocaria isso no mural da escola? Eu publicaria isso num jornal?’ Se a resposta for não, lembre-se que a abrangência da internet é milhões de vezes maior do que de todos esses lugares”, adverte.
O Facebook conta com mais de 2 bilhões de usuários ativos mensalmente, o que o torna a rede social mais popular do mundo. Não é à toa que criminosos correm atrás de formas para obter vantagens e extorquir os usuários por meio de uma conta falsa.
A própria rede social estima que existam cerca de 150 milhões de usuários que não sejam verdadeiros em sua plataforma. Diante desse universo, é muito difícil estar seguro na internet. “É possível apenas ter um nível de proteção adequado e relativo ao uso que você faz. Cada tipo de atividade exige um tipo de proteção. Um usuário de redes sociais não precisa do nível de proteção de uma usina nuclear e, do mesmo modo, uma pequena empresa não precisa do nível de proteção de um banco. Cada caso é um caso e não existe uma receita única para todo mundo”, alega o especialista.
O problema é tão grave que os perfis falsos podem afetar a população inteira de um lugar. Uma série de reportagens da BBC Brasil revelou, recentemente, uma investigação que está sendo feita de uma empresa brasileira que teria contratado alguns funcionários para controlar de 20 a 50 perfis falsos durante as eleições de 2014.
As contas teriam sido usadas em redes sociais de 13 políticos que concorriam ao pleito naquele ano. O objetivo delas era incentivar os eleitores a votar por meio de postagens manipuladas. Não há indícios de que eles sabiam desses perfis falsos. Contudo, a suposta atuação tornou-se um risco à democracia.
Um porta-voz do Facebook escreveu à BBC Brasil por e-mail que a empresa espera tomar medidas contra os perfis falsos no País antes das próximas eleições . “Estamos eliminando contas falsas em todo o mundo e cooperando com autoridades eleitorais quanto a temas relacionados à segurança on-line e esperamos tomar medidas também no Brasil antes das eleições de 2018.”
Que comportamento é esse?
O que leva uma pessoa a assumir na rede uma identidade falsa? Para a psicóloga Gisele Meter, as pessoas usam perfis falsos por motivos diversos, mas, geralmente, estão vinculados a alguma insatisfação. “Na tentativa de equilibrar essa balança de insatisfação constante e da qual não tem controle, o usuário da rede social busca a fuga em algo que possa controlar, criando assim uma identidade manipulável, fluida e com a qual ele pode se conectar e desconectar a hora que bem entender, diferentemente de seu eu real insatisfeito ou infeliz que precisa ser encarado todos os dias”, explica.
Ela comenta que o fato de se comunicar anonimamente é algo que atrai muitos usuários da internet. “Saber que pode fazer o que quiser sem ser descoberto pode despertar aspectos egoístas, narcísicos e até mesmo cruéis, pois o outro vira objeto da satisfação do indivíduo. Não existe preocupação com sentimentos, não se pensa que do outro lado da tela existe um ser humano real, com suas fragilidades e bagagem emocional. Logo, se esconder atrás de um perfil fake é uma tranquilidade perversa, na qual não se enxerga o outro como uma pessoa, mas como objeto que pode ser manipulado ou até descartado quando não tiver mais utilidade”, avalia.
O assistente de vendas e merchandising Leonardo Maurício dos Santos (foto acima), de 26 anos, viveu essa experiência há cerca de seis anos quando conversava on-line com uma moça.
Ela havia se aproximado dele dizendo ser uma pessoa, quando, na realidade, não era. “Ela puxava assunto comigo e até então parecia ser mesmo o que dizia. Mandava fotos bem comportadas e mantinha conversas interessantes como se fosse uma mulher cristã.”
Certo dia, Leonardo desconfiou da usuária. “Comecei a perceber que algumas fotos de sua página não ‘batiam’ entre si e que tinha poucos comentários e curtidas. O que também me fez desconfiar foi o fato de ela sempre puxar assunto, porque mulheres na verdade são mais reservadas nas redes sociais. Então, pesquisei a fundo e descobri que era um perfil fake.”
O engano durou apenas duas semanas, mas serviu de alerta para os próximos contatos que ele fizer. “Hoje faço uma análise de fotos e da quantidade de amigos que a pessoa tem. Quando alguém me chama para conversar na rede social, analiso bem ou nem respondo sem conhecê-lo É bom estar sempre bem atento aos sinais divergentes”, alerta.
Consequências negativas
Não são apenas prejuízos físicos que as contas falsas na internet causam aos usuários, mas também danos à imagem pessoal deles.
Há cerca de um ano, Sheila Cantor de Oliveira (foto ao lado), de 26 anos, recebeu mensagens obscenas de diversos homens que tentavam adicioná-la no Facebook. Eles diziam que haviam falado com ela por uma sala de bate-papo de um portal. O fato é que Sheila nunca havia entrado nesse site.
Dias depois, ela descobriu que uma pessoa havia se passado por ela. “Pelas mensagens que eles escreviam dava para perceber que a conversa anterior no site era bem pervertida. Uns mandavam solicitação de amizade, outros escreviam por mensagem privada: ‘oi, gostosa, podemos continuar nossa conversa?’, enquanto outros ainda mandavam fotos obscenas”, declara.
Em seguida, Sheila descobriu que a mesma pessoa havia criado um perfil falso dela no Facebook. Ela nunca soube quem furtou sua identidade. Mas agiu rapidamente para que os danos não fossem maiores. “Publiquei uma nota no meu perfil em modo público para que todos vissem, principalmente quem fez isso, que eu não era a mesma pessoa. Logo, todos bloquearam a conta falsa e, em seguida, ela sumiu”, alega.
Reparos
Se você caiu na armadilha dos fake da internet, denuncie o que aconteceu. “Entre em contato com a rede social e explique seu caso para tentar tirar aquele perfil do ar. Geralmente, a rede social atende os pedidos comprovados. Se não funcionar, é preciso recorrer à via judicial por intermédio de um advogado”, orienta Adriano Cansian, especialista em segurança.
O advogado de Direito Digital Marcelo Crespo garante que a vítima de um perfil falso pode identificar o autor. “Ele pode ser identificado por meio dos dados cadastrais de quem o criou, tais como e-mail e telefone e, ainda, pelo número de IP da máquina. Mas, para sabê-lo, quase sempre será preciso promover uma ação judicial”, orienta.
Adriana Moraes, advogada na área, explica que criar um perfil falso nem sempre é crime. “Se for em cima de alguém que não existe apenas para preservar relacionamentos, sem que essa prática cause dano, não é crime. Pode, porém, ensejar sua retirada pelo fato de infringir os termos de uso da aplicação na qual o perfil está publicado. No entanto, se um perfil falso for criado a partir de uma pessoa real, viva ou morta, o ato pode ser tipificado como crime de falsidade ideológica, desde que cause dano à vítima”, esclarece.
*Nome fictício. A personagem pediu para ter sua identidade preservada.
Colaborou: Michele Francisco

quinta-feira, 4 de janeiro de 2018

Vamos Ler o Salmo 92 ?

Resultado de imagem para Salmo 92

Bom é louvar ao SENHOR, e cantar louvores ao teu nome, ó Altíssimo;
Para de manhã anunciar a tua benignidade, e todas as noites a tua fidelidade;
Sobre um instrumento de dez cordas, e sobre o saltério; sobre a harpa com som solene.
Pois tu, Senhor, me alegraste pelos teus feitos; exultarei nas obras das tuas mãos.
Quão grandes são, Senhor, as tuas obras! Mui profundos são os teus pensamentos.
O homem brutal não conhece, nem o louco entende isto.
Quando o ímpio crescer como a erva, e quando florescerem todos os que praticam a iniqüidade, é que serão destruídos perpetuamente.
Mas tu, Senhor, és o Altíssimo para sempre.
Pois eis que os teus inimigos, Senhor, eis que os teus inimigos perecerão; serão dispersos todos os que praticam a iniqüidade.
Porém tu exaltarás o meu poder, como o do boi selvagem. Serei ungido com óleo fresco.
Os meus olhos verão o meu desejo sobre os meus inimigos, e os meus ouvidos ouvirão o meu desejo acerca dos malfeitores que se levantam contra mim.
O justo florescerá como a palmeira; crescerá como o cedro no Líbano.
Os que estão plantados na casa do Senhor florescerão nos átrios do nosso Deus.
Na velhice ainda darão frutos; serão viçosos e vigorosos,
Para anunciar que o Senhor é reto. Ele é a minha rocha e nele não há injustiça.
Salmos 92:1-15

Deixo esse Salmo, para a sua meditação dessa vez sem comentários meu para que você fique a vontade e Deus fale direto com você ! Abraço do seu amigo Nelsinho A. Quintanilho. 

domingo, 31 de dezembro de 2017

Para um 2018 Feliz !



Regozijai-vos sempre.
Orai sem cessar.
Em tudo dai graças, porque esta é a vontade de Deus em Cristo Jesus para convosco.
1 Tessalonicenses 5:16-18


As pessoas no dia 31/12 também conhecido como o último dia do ano, tem por costume diversas tradições, uns vão a praia para pular ondas, outros comem 7 uvas, outros usam roupa branca pra Paz, vermelha pra felicidade no amor, e etc... também tem aqueles que fazem oferendas ao mar... enfim, são diversos rituais que dizem surtir algum efeito positivo na vida de quem crer ! Porém com tudo isso a cada dia estamos vendo a sociedade se destruindo um ao outro... a tal felicidade, a tal paz, não tem sido encontrada nas praias, nas queimas de fogos, nos lugares mais lindos do mundo, nos grande cartões postais, tão pouco nos rituais.

Muito pelo contrario disso tudo de bom quem dizem que viria, podemos é ver nessa época, aumentar de forma brusca o número de acidentes no transito, suicídio, homicídio, pessoas conhecendo o mundo das drogas, pessoas bêbadas brigando ou largadas pelas ruas, enfim, morre muita gente, acontece traições sem limites, desgraças constantes em meio a um ambiente familiar, tudo que era pra ser bom... se torna ruim... sabe o motivo ? Deus não está lá !

Talvez você viveu um inferno em 2017 pelas suas escolhas nos anos anteriores, mas você tem tempo de mudar, a começar por hoje, passar a virada do ano não priorizando, rituais, amigos, simpatias, enfim, nada que deu errado antes, e sim Deus ! Vá atrás de uma igreja que acontecerá a virada do ano, termine os últimos minutos do dia de hoje buscando a Deus e comece o novo ano ainda na presença do Altíssimo ! 

Regozijai 
tornar-se alegre; contentar ou contentar-se

Sempre esteja alegre, sempre acredite ! nunca deixe de acreditar que Deus tem o melhor pra você, que nesse ano você ore sem cessar, que seja uma pessoa fervorosa ! que sua fé sempre esteja aquecida e pronta para o que der... e vier !
Em tudo de graças, é você confiar que tudo que Deus faz, ou permite que a gente passe é para o nosso bem, para o nosso crescimento ! tudo é um proposito de Deus e por isso damos graças ! mesmo quando não nos trás alegria no momento a situação, mas logo lembramos que Deus é Fiel e que vai melhorar ! 


Para um 2018 Feliz só com Deus na direção ! E você seguir crendo e confiando até o fim !

Que os erros de 2017 não se repitam em 2018, que as alegrias que faltaram... cheguem agora no novo ano, que todas as sortes de bençãos lhe acontecem e a toda a sua família ! É o que deseja o seu amigo aqui Nelsinho A. Quintanilho. Um forte abraço feliz ano novo, feliz coisas novas e maiores que Deus vai nos entregar !!! amém ?

segunda-feira, 25 de dezembro de 2017

É Natal! Assassino se veste de Papai Noel para atirar na filha que o pai rejeitava





É tempo de Natal. Luzes coloridas, sininhos, bolas de enfeite, um espírito de ternura paira no ar. O simpático e generoso Papai Noel fica parado numa esquina do Morumbi, próxima ao charmoso shopping, distribuindo balas. O trânsito lento obriga a moça, dirigindo um Palio prata, a parar mais do que esperava. Papai Noel se aproxima. Em vez de oferecer mais algumas balas, usou projéteis: sacou um revólver e disparou três vezes em direção a moça. Ela tomba sobre o volante. Papai Noel, sem trenó puxado por renas, sai correndo para um carro, estacionado perto dali, e foge.

Neste período de Natal, 2001, a cena de ódio substituía Jesus por Noel, símbolo do bom velhinho São Nicolau, que distribuía presentes para as crianças pobres, nessa data que, na história da humanidade, é antes e depois. Uma das balas, disparadas pelo aparente bom velho atravessou o rosto da publicitária Renata Guimarães Archilla, arrancando-lhe dentes. Ela, atônita, conseguiu colocar alguns deles, ensanguentados, nas mãos. O vidro escurecido e à prova de vandalismo o absorveu um pouco o impacto dos tiros. Renata escapou da morte, mas ficou com o rosto deformado. Ali, à espera de socorro, teve uma certeza íntima de quem havia mandado fazer aquilo. Seria angustiante.

Papai Noel subiu no carro que ele mesmo havia estacionado e saiu rangendo os pneus. A fantasia de Papai Noel foi abandonada, dentro de um saco, com a arma do crime, na avenida Morumbi.

A recomposição do rosto de Renata só foi possível com uma sucessão de cirurgias, oito, fora os implantes. O carro de Papai Noel ficou por longo tempo parado e provocou uma multa. O veículo tinha placas de Sorocaba, no interior de São Paulo, levou ao condutor, que sabia tudo sobre hábitos e rotinas de Renata. E conduziu ao autor. Renata tinhas suas certezas. A Polícia iria materializá-las, dentro dos princípios da velha Roma: Cui prodest? A quem aproveita? Responder a essa pergunta é o passo inicial para toda investigação de um crime misterioso. Porque é misteriosa a alma humana.

Renata, então com 29 anos, sonhava apenas em comprovar a identidade do pai biológico. Esse pai a considerava um incômodo, estorvo mesmo. Renata sabia muito bem a quem buscava ansiosamente. A mãe lhe havia contado sobre o caso com Renato Archilla, um empresário criador de cavalos, dono de uma fazenda com haras em Sorocaba. Lucia Guimarães, a mãe, revelou até que Renato tentou convencê-la a abortar. Ela, 17 anos; Renato, 19. Num processo judicial, que se arrastou por longos doze anos, Renata comprovou, por exame de DNA, os laços sanguíneos: era indiscutivelmente filha de Renato.

Primeiros passos da investigação: o carro do Papai Noel atirador tinhas placas de Sorocaba. O haras do pai de Renata também fica em Sorocaba. O carro pertencia a um segurança de Renato, cujos telefones foram encontrados na agenda do Papai Noel, que se preparou para ser assassino. Papai Noel foi o disfarce de um ex-policial militar, expulso da corporação, José Benedito da Silva. Não teve como negar. Mas, bem ao estilo do pistoleiro profissional, contratado para matar, preferiu manter o mais absoluto silêncio sobre o autor da encomenda assassina. Na linguagem da cadeia, onde foi parar, condenado, chama-se a isso de “segurar a bronca”, atitude necessária porque “deu treta”. Omertà cabocla. É incrível, mas entre a bandidagem vigora um indecifrável código de honra, como se houvesse alguma honradez na prática absurda de um crime assim.

Mas a Polícia chegou lá. Comprovou a suspeita de Renata, para quem tudo era óbvio, e avançou um pouco mais. Não havia um só mandante. Eram dois. O pai de Renata e seu próprio pai. O pai e o avô de Renata! Estarrecedor.

Entender alma humana está além do que se pode depreender ao examinar os autos frios de um processo criminal. Sei disso porque a prática ensinada pela vivência nesse mundo cruel, me ensinou a percorrer labirintos para conseguir chegar à epiderme finíssima da alma. Nesses autos, o que se quer provar é a autoria. O que seja considerado suficiente para uma condenação, e no caso de Renata pai e avô foram condenados. Mas eu quero mais, muito mais: decifrar o enigma de Caim, o primeiro assassino, porque tantas pessoas gostam de matar e ainda procuram legitimar o assassinato, sob o rótulo suave de “motivação” para o ato extremo de violência.

O pistoleiro fantasiado de Papai Noel assumiu tudo em termos de autoria. No mais, se manteve calado. O avô, também contratante, se chama Nicolau. O bom e simpático velhinho, Nicolau. A fusão dos dois Nicolaus, uma simbiose anormal, produziu um caldo humano sinistro. Um do bem, em tese; outro, do mal. Mas, sem naniqueísmo, as teorias sobre a gênese do caridoso Nicolau e do avô que deveria amar a neta, caíram por terra e serão sepultadas na vala comum do esquecimento.

Por que tudo isso? Você irá perguntar. E cabe a mim responder.

Reconhecida a paternidade, pelo código genético, Renata passou a ter direito na partilha dos bens e mais pensão datada retroativamente. E foi contra isso que o pai de Renata se insurgiu. A bem da verdade, registre-se que ele chegou a titubear nesse sentido, mas o avô Nicolau foi intransigente. Não e não. Renata, pensava ele, era uma estranha no ninho familiar, indesejável. Oportunista. Negativo: o pai de Renata até pensou em aproximar-se mais, estarem próximos, mas Nicolau não quis saber da moça que reivindicava o direito de ter um pai.

O julgamento foi no Tribunal do Júri do Fórum na Barra Funda. Renata se perguntava em indagações profundamente intimas: “Ninguém é obrigado a amar ninguém. Por que fez isso comigo”? O cruzar dos olhares numa hora dessas é impactante. Pedro negou a Jesus por três vezes, e quando o galo cantou, conforme profetizado, o Mestre olhou para ele. Pedro chorou amargamente. Está registrado nas Escrituras.

Renata foi ao Fórum. Mas não quis fitar o pai que planejou matá-la. Quando começou a ser interrogado, a moça retirou-se do plenário e ficou atrás de uma porta. Não queria vê-lo. Apenas ouvi-lo. O pai negou, negou, disse que era “cuidador da vida”, referindo-se aos cavalos. A negativa de autoria foi a tese do advogado Marcial de Hollanda, desembargador aposentado do Tribunal de Justiça. Pela família de Renata, atuou como assistente da acusação o advogado Mario Sérgio Duarte Garcia, ex-presidente da OAB-SP. Os atores apresentaram esgrima jurídica. Os pesos na balança a Justiça eram desequilibrados, por mais que Têmis, a deusa grega que a simboliza, use venda nos olhos.

Ela se lembrou, nesse instante, que antes de negar ser o pai, Renato chegou a convidá-la para assistir no haras ao nascimento de um potro,”a coisa mais linda”. Pensei: é lindo mesmo. Mas não se manda matar cavalos... Escondida, Renata chorou.

Pai e avô foram presos numa bela mansão nos jardins, um símbolo da riqueza do pai e avô de Renata. Delicadíssimos com os cavalos. Rudes com a filha e a neta. Aprendi, uma vez mais, que o dinheiro, o vil metal, não só é a raiz de todos os males, como está por trás de uma maioria de crimes. É a síndrome de Caim, o irmão irado que, depois de matar Abel, retirou-se para o leste do Éden, título de um belo romance de John Steinbeck. Aqui, o caso de Renata e o Papai Noel assassino é um romance real, digno de Nelson Rodrigues, sem absolutamente nada de ficção. A vida humana repleta de surpresas inacreditáveis.
Por Percival de Souza

sábado, 23 de dezembro de 2017

O que você tem, foi Deus que deu, não esqueça !





João respondeu, e disse: O homem não pode receber coisa alguma, se não lhe for dada do céu.
João 3:27


Muitos tem se garantido em sua capacidade intelectual, acham que tudo que eles tem foi conquistado por conta de sua própria mente capaz de planejar e realizar projetos.

Outros já se garante no fato de serem bons no trabalho, com por exemplo um excelente vendedor, tudo que coloca em suas mãos ele vende bem, ganha muito dinheiro com seu trabalho é financeiramente resolvido e se destaca no que faz.

Tem também aqueles que se gloriam por terem construído uma linda família, por hoje ter um casamento, filhos, enfim, a realização sentimental e familiar. 

E por fim, aqueles que sua glória é na sua saúde, tem um lindo corpo, uma saúde de ferro, não é de ficar doente, é forte fisicamente como um leão ! 

Não sei quem é você, como pensa, no que se garante, mas uma coisa digo, essa palavra serve para todos! No caso todas as coisas boas que já aconteceram na sua vida, veio de Deus, o único que de fato pode abençoar !

Resumindo; 
Sabe essa capacidade intelectual que você tem ? do céu foi dada a você ! 
Essa capacidade que faz você crescer financeiramente a cada ano sabe de onde vem ?  do céu foi dada
Sabe essa família ou casamento que você tanto se orgulha ? do céu foi dada
Sabe essa saúde de dar inveja que você tem ? do céu foi dada 

Tudo que você obter de bom, tenha certeza que do céu foi dada, seja você um Cristão ou não, mas uma coisa todos tem que é Fé ! Mediante essa fé, de ir a luta, em busca da conquista da realização de um sonho que Deus tem abençoado ! 

Não esqueça, que o homem não pode receber coisa alguma, se não houver a permissão de Deus, busque a Deus, peça o que quiser, porém não esqueça de agradecer ! tenha gratidão também. E o principal dos pedidos que pode fazer é a Salvação da sua alma, pois muitos que se julgam capazes tem esquecido de Deus, não deixe que suas habilidades intelectuais ou suas posses, enfim, nada nem  ninguém lhe afaste d'Aquele que dos céus lhe deu tantas alegrias.

Forte abraço do seu amigo Nelsinho A. Quintanilho que Deus abençoe ! 

terça-feira, 19 de dezembro de 2017

Veste da mentira




A situação de Jacó retrata a de muitos cristãos espalhados por este mundo afora. Ele apresentou a seu pai a CAÇA (SACRIFÍCIO) DA MENTIRA, quando sem nenhum esforço sacrificou um cabrito para oferecer a comida para Isaque.


Então disse Isaque a seu filho: Como é isto, que tão cedo a achaste, filho meu? E ele disse: Porque o Senhor teu Deus a mandou ao meu encontro. Gênesis 27.20

Se vestiu com a VESTE (CARÁTER) DA MENTIRA, quando pôs o vestido de gala de seu irmão.


… tomou Rebeca os vestidos de gala de Esaú, seu filho mais velho, que tinha consigo em casa, e vestiu a Jacó, seu filho menor Gênesis 27.15

Exalou o CHEIRO DA MENTIRA (PECADO), quando se aproximou para o beijar e o enganou com o cheiro das vestes de seu irmão.


…então sentindo o cheiro das suas vestes, abençoou-o, e disse: Eis que o cheiro do meu filho é como o cheiro do campo, que o Senhor abençoou Gênesis 27.27

A CAÇA (SACRIFÍCIO) DA MENTIRA

Assim são muitas pessoas que oferecem:


… sobre o Meu altar pão imundo, e … dizeis: A mesa do Senhor é desprezível. Malaquias 1.7

E dizem que “fizeram no Altar” o que Deus as ordenou, por isso não veem resultado em suas vidas. Mas existem também os “Zaqueus”, que, através de seu sacrifício, provocou a bem aventurada afirmação do nosso Senhor:


… Hoje veio a Salvação a esta casa, pois também este é filho de Abraão. Lucas 19.9

A VESTE (CARÁTER) DA MENTIRA

Jacó pagou um alto preço por carregar por baixo de suas vestes um caráter desviado. Durante anos, viveu atormentado pelo medo. Ele sabia que havia cometido um grave erro contra seu pai, agindo astuciosamente. Esse pecado o perseguia dia e noite, e assim é com quem tem dívida com o diabo, por viver vestido de cristão, mas por baixo de suas vestes praticar deliberadamente o pecado. Essas pessoas não têm paz e estão perdidas, infelizmente. Porém, há aqueles que:


… lavaram as suas vestes e as branquearam no Sangue do Cordeiro. Por isso estão diante do trono de Deus, e O servem de dia e de noite no Seu templo…” Apocalipse 7.14,15

O CHEIRO DA MENTIRA

Há pessoas que estão muito mal, seu corpo espiritual está carcomido pelo pecado e, por isso, exalam o cheiro da malícia, do engano, dos maus olhos, da traição, enfim, o cheiro da morte. Mas, há aquelas que exalam o aroma da vida, o perfume de Jesus, e, onde elas chegam, os que estão ao seu redor logo o percebem, através de seu comportamento, cheio de temor e reverência ao Senhor.

Qual a solução para essas pessoas?

Vau de Jaboque (Altar), entrega total e completa de suas vidas através do sacrifício sem reservas, tudo por tudo. Além de reconhecimento do pecado, arrependimento, confissão e abandono do mesmo. Resultado disso? ENCONTRO COM DEUS, MUDANÇA DE IDENTIDADE, NOVO NASCIMENTO, essa foi a solução de Jacó, no Vau de Jaboque, o qual se transformou em Israel.

Deus os abençoe!

Colaborou: Bispo Sergio Corrêa

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

O medo do amor












Eis um fato que não precisa de pesquisa para se ter uma ideia da porcentagem exata:
As pessoas não querem sofrer, fogem de tudo que possa trazer algum tipo de dor ou sofrimento.
Dentro dessa fuga, na maioria das vezes, está o terror de todo ser humano: VIDA AMOROSA.
A vida amorosa para muitos é sinônimo de tristeza, traumas, sofrimentos e muita, muita dor e decepção. Não sabendo como lidar com isso, o que fazem? Fogem de medo, para não viverem novamente o que passaram.
Então, a melhor solução possível é:
  • Se não quer sofrer, é melhor que não se case.
  • Homem não presta mesmo, melhor ser independente e cuidar da minha carreira.
  • É melhor somente morar junto; pois se der errado, cada um vai para um canto e tudo está resolvido.
E por aí vão muitas ideias para não ter de sofrer ou ao menos tocar no assunto RELACIONAMENTO.
O fato de muitas pessoas terem péssimas referências e experiências na vida amorosa faz com que elas se afastem cada vez mais do sonho de se casar e ter uma família, como se isso fosse algo do passado e que nos dias de hoje é só uma história para ser contada nos museus como: – Eis aqui uma família.
Para se ter uma vida amorosa feliz e realizada é preciso primeiro crer que a família não está extinta, mas está sendo evitada pelo medo de dar errado.
Não tenha medo de mexer na ferida, se for preciso, para que ela venha ser definitivamente sarada e cicatrizada. Não tenha medo de enfrentar suas dores para que, de uma vez por todas, vença o passado e consiga ser feliz por completo.
Eu sou o Senhor, o Deus de vocês; eu os seguro pela mão e lhes digo: Não fiquem com medo, pois eu os ajudo. (Isaías 41:13)
Então, não tenha medo porque você NÃO está sozinha. Coloque Deus à frente e Ele lhe dará coragem para vencer todo o seu passado.
Fazendo isso, o sonho de ter um casamento feliz e uma vida amorosa realizada será possível.