quinta-feira, 30 de julho de 2015

HISTÓRIA CABELUDA (Ilustração)


O. Henry, famoso contista norte-americano, conta-nos uma deliciosa história de amor conjugal.
História cabeluda.
Um casal muito pobre queria se presentear no Natal, mas nenhum dos dois tinha dinheiro.
Como ela tinha um cabelo maravilhoso, resolveu vendê-lo para comprar uma pulseira nova para ele colocar no relógio que havia herdado do pai (uma jóia que acompanhava a família há três gerações), e que há muito tempo estava com a pulseira quebrada.
Quando ele chegou em casa, na noite de Natal, levou um tremendo susto ao vê-la de cabelo curto, mas sua surpresa foi ainda maior quando ela lhe deu a pulseira, pois, para poder comprar para ela dois pentes raros, de casco de tartaruga, orlados de pedraria, na cor exata para combinar com seu cabelo, ele havia vendido o relógio.



A ninguém devais coisa alguma, a não ser o amor – I Coríntios 13.8

segunda-feira, 27 de julho de 2015

Cobiça


"Depois, havendo a concupiscência concebido, dá à luz o pecado; e o pecado, sendo consumado, gera a morte." Tiago 1:15

O problema não é você olhar, porque olhar todo mundo olha, mas o problema é quando você não passa mais a olhar e sim a cobiçar algo, como por exemplo:  poder, dinheiro, glórias, etc.

Pois você vai está pecando, e o pior é quando você passa a viver assim e no pecado. E a sua vida em vez de mudar, ela piora, em vez de você arrebentar, você se arrebenta e se você morre assim vivendo cobiçando e consequentemente no pecado você vai direto pro inferno, mais existe uma saída, e a saída é, você abrir mão disso, se arrepender de fato e de verdade, se entregar a Deus no Altar 100% e passar a viver de acordo com a Palavra Dele todos os dias, até o fim da sua vida, pois você fazendo isso não somente sua vida vai mudar por completo, mais você vai receber o bem mais precioso que uma pessoa pode receber que é o Espírito Santo. Até você, que um dia viveu pela fé, viveu de acordo com a vontade Deus mais se afastou por conta de passar a viver cobiçar e consequentemente no pecado ou por outro motivo que seja, não importa pra você também há saída, e Deus está pronto pra te aceitar de volta.

Mais só depende da decisão que você irá tomar, ninguém pode decidir por você, é você mesmo que tem que decidir. E qual escolha você vai fazer ? Continuar a viver no pecado ou abrir mão do pecado e se entregar pra Deus de fato e de verdade e passar a viver de acordo com a Palavra Dele ?

"Portanto, se o teu olho direito te escandalizar, arranca-o e atira-o para longe de ti; pois te é melhor que se perca um dos teus membros do que seja todo o teu corpo lançado no inferno." Mateus 5:29

Por: Patrick Erbe

sábado, 25 de julho de 2015

O Fogo e o Cutelo



TOMOU ABRAÃO A LENHA DO HOLOCAUSTO E A COLOCOU SOBRE ISAQUE SEU FILHO, SIMBOLIZANDO, ASSIM, A TOTALIDADE DO SACRIFÍCIO….

O que cabia a Abraão dar a Deus estava ali, porém, ele levava nas mãos o fogo e o cutelo, ou seja, Abraão não poderia transferir para o seu filho o fogo, já que ele deveria, a qualquer custo, mantê-lo aceso, o que significa que o fogo da fé é pessoal e intransferível.
E é esse mesmo fogo que deve estar no nosso coração, sendo que a responsabilidade de mantê-lo aceso é de cada um.
O cutelo simbolizava a disposição de Abraão em Sacrificar, já que, sem este, ele não poderia cortar o Sacrifício! E Abraão também não abriu mão de levá-lo, isto significa dizer que cada um deve levar esse “cutelo” até ao fim, sem abrir mão dele, sem transferir a responsabilidade do Sacrifício.
Às vezes, a pessoa até tem disposição no momento em que Deus a chama, ela diz de boca cheia: “Eis-me aqui!”. Até pega a lenha, o Sacrifício (que no caso é o seu Isaque), pega o fogo, pega o cutelo e vai… mas, no meio do caminho, ela deixa o fogo apagar… e solta o cutelo, porque vem o medo de Sacrificar!
E acontece o que aconteceu com Adão e Eva, quando o Senhor os chamou, esconderam-se, porque tinham vergonha! E é assim que a pessoa fica, com vergonha da própria vida, pois ela mesma tem adiado a mudança da sua vida, por não obedecer a Deus.
E ainda há aquelas que, diante disso, querem justificar-se ou culpar outras pessoas pelos seus fracassos sucessivos. Quando não, colocam ou tentam colocar a culpa em Deus. Como disse Adão: “A mulher que me deste, me deu do fruto e eu comi…”.
É como se a pessoa dissesse: “Ó Deus, por que é que o Senhor permitiu que o meu filho ficasse doente, o meu marido se fosse embora, eu perdesse o emprego… o meu cutelo caiu, a minha disposição acabou, o meu fogo se apagou, então, usei o meu Sacrifício para suprir isso ou aquilo…”.
E é por esse motivo que a pessoa se torna religiosa, conhecedora da letra, mas desconhecida do Deus Vivo.
Tiago 1.25: “Mas aquele que considera, atentamente, na lei perfeita (Sacrifício), lei da liberdade (Sacrifício), e nela persevera (Sacrifício), não sendo ouvinte negligente, mas operoso (disposto) praticante, esse será bem aventurado no que realizar. (Sacrifício Único ao Deus Único)”.
Nesta Fogueira Santa, mantenha o seu fogo aceso e segure firme o seu cutelo até ao fim, com a mesma disposição de Abraão de Sacrificar o seu Isaque.
Pr. Luiz Mendonça
Leiria (Portugal)

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Não tema, Deus está contigo !!!!


Deus é o nosso refúgio e fortaleza, socorro bem presente na angústia.
Portanto não temeremos, ainda que a terra se mude, e ainda que os montes se transportem para o meio dos mares.
Ainda que as águas rujam e se perturbem, ainda que os montes se abalem pela sua braveza. (Selá.)
Há um rio cujas correntes alegram a cidade de Deus, o santuário das moradas do Altíssimo.
Deus está no meio dela; não se abalará. Deus a ajudará, já ao romper da manhã.
Os gentios se embraveceram; os reinos se moveram; ele levantou a sua voz e a terra se derreteu.
O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. (Selá.)
Vinde, contemplai as obras do Senhor; que desolações tem feito na terra!
Ele faz cessar as guerras até ao fim da terra; quebra o arco e corta a lança; queima os carros no fogo.
Aquietai-vos, e sabei que eu sou Deus; serei exaltado entre os gentios; serei exaltado sobre a terra.
O Senhor dos Exércitos está conosco; o Deus de Jacó é o nosso refúgio. (Selá.)
Salmos 46:1-11


Só deixa de ter Medo, aqueles que de fato confiam que MAIOR É SEU DEUS !!!

Não preciso escrever mais nada, a palavra de Deus já diz tudo aí a cima... Deus não falha somos não que falhamos quando deixamos de crer na palavra, ou confiar n'Ele.

by Nelsinho A. Quintanilho

domingo, 19 de julho de 2015

Uma mulher sob o regime islâmico do casamento não tem direitos humanos...

“Puxe a esposa pela orelha”, orienta manual islâmico para ‘casamento feliz’

Guia dedicado a muçulmanos recém-casados retrata tipo de opressão, abuso e agressão ao qual as mulheres ainda são submetidas.

“Puxe a esposa pela orelha, bata com a mão ou com uma vara”, instrui o manual dedicado, principalmente, aos muçulmanos recém-casados. “Mas o marido deve se conter para não espancá-la excessivamente”, diz o livro “A Gift for Muslim Couple” (Um presente para casais muçulmanos), escrito pelo acadêmico muçulmano Maulavi Ashraf Ali Thanvi. Embora já não seja mais uma novidade nas livrarias de países não muçulmanos, retrata o tipo de opressão, abuso e agressão dos quais as mulheres ainda são submetidas.
Relacionamento conjugal, armadilhas do casamento e como executá-lo com sucesso são citados na sinopse do livro. No entanto, basta algumas páginas e o autor alerta que “pode ser necessário conter a esposa com força ou até mesmo ameaças”. “O marido deve tratar a esposa com bondade e amor, mesmo que ela tenda a ser ‘estúpida’ e lenta às vezes”, aconselha.
O guia com esse tipo de orientação chegou a indignar os canadenses, que até pediram a retirada do livro das livrarias do país, na época. Apesar de o assunto soar estranho para pessoas do Brasil e Estados Unidos, por exemplo, a violência doméstica é uma prática comum no mundo islâmico. Os maridos, seguidores do Alcorão (livro sagrado dos muçulmanos) são autorizados a bater em suas esposas e filhos, além de também ter permissão para matar. Podem, por exemplo, agredir uma criança, que não reza conforme os costumes locais. Vale ressaltar que nem todo homem muçulmano é abusivo, mas o Islã dá direitos suficientes a eles, caso queiram.
“Eu não deveria estar viva”, contou uma mulher norte-americana, que viveu 14 anos de abusos, casada com um muçulmano do Oriente Médio. Ela conseguiu escapar, mas de acordo com ela, a maioria não sai viva.
Os crimes contra a mulher são sempre encobertos pela polícia ou por familiares. A mulher é considerada como uma propriedade, como qualquer outro bem. Ela também não tem controle sobre o seu corpo, somente o homem a quem pertence. Em muitos lugares, as mulheres não podem fazer coisas simples, como andar de bicicletas sozinhas, abrir uma conta no banco ou dirigir, por exemplo. Também não podem gastar o dinheiro do marido e nem permitir a entrada de ninguém em sua casa, sem que o marido a autorize.
Ataque com ácido
O ‘crime’ de aprender a ler e a escrever levou a paquistanesa Fakhra Younus (foto ao lado) levar um banho de ácido, em 2000, pelo marido, enquanto dormia e na frente do filho de 5 anos. Durante 12 anos, Fakhra viveu cega de um olho, surda e com vários outros problemas ocasionados pelo ácido, que também derreteu seus seios, o nariz e uma orelha.
Em 2012, aos 33 anos, a paquistanesa tirou a própria vida ao se jogar do 6º andar de um prédio em Roma, na Itália, onde havia se mudado com a família. Durante uma década, Fakhra passou por quase 40 procedimentos cirúrgicos para reparar o rosto desfigurado.
Mais de 8,5 mil ataques com ácido, por não aceitar um casamento forçado e outras formas de violência contra as mulheres, foram relatados no Paquistão em 2011, segundo a Fundação Aurat, organização de direitos das mulheres.
A punição é frequente no Paquistão, Afeganistão, Bangladesh e Índia. Os assassinos não são punidos, em sua maioria, pois alegam que o ataque foi em nome da honra da família.
“Uma mulher sob o regime islâmico do casamento não tem direitos humanos, a menos que nós consideremos que um escravo tem direito dentro do sistema escravagista”, escreveu o escritor muçulmano Nawal El Sa’dawiem seu livro, “A face oculta da Eva”.
Uma nova chance
Talvez você, leitora, embora não viva em um país que siga esses costumes, tem sido vítima de violência doméstica vinda por pessoas que deveriam cuidar e amar você. Se esse é o seu caso, conheça o Projeto Raabeum grupo de apoio da Universal para mulheres que sofrem ou sofreram algum trauma, abuso ou tipo de violência. Saiba que existe uma solução para se livrar de tudo isso. Veja os endereços onde acontecem as reuniões. Você também pode entrar em contato com as orientadoras do grupo através do telefone (11) 95349-0505. 
Caso precise uma palavra amiga, converse agora mesmo com um Pastor Online e tenha uma direção.

quinta-feira, 16 de julho de 2015

OS SINAIS DE ALERTA – não entre numa fria!

Há uma série de "sinais de alerta" que você deve procurar antes de entrar em um relacionamento sério. Infelizmente, esses sinais nem sempre são nítidos antes do casamento, uma vez que muitos abusadores são altamente qualificados em esconder suas verdadeiras naturezas. No entanto, uma pequena lista sobre o que vigiar inclui:
- ciúme irracional 
- necessidade de estar no controle
- um temperamento explosivo
- crueldade com animais
- tentativas de isolar a outra pessoa de seus amigos e familiares
- abuso de drogas ou álcool
- desrespeito com limites, privacidade, espaço pessoal, ou valores morais
Se você percebe que pode estar entrando em um relacionamento com alguém que apresenta esse sinais, afaste-se o quanto antes. E se você já está em um, você precisa de ajuda de alguém familiarizado com situações abusivas, como um conselheiro ou amigo de confiança.
===
Hoje, em nossa palestra na Terapia do Amor, trataremos deste assunto. Em todo o Brasil. Acesse www.terapiadoamor.tv para a localidade mais próxima.

Colaborou: Bispo Renato Cardoso

segunda-feira, 13 de julho de 2015

Valor da Aliança (Ilustração)


O marido, chateado: – “Querida, por que você está usando a aliança no dedo errado?”
A mulher, chateada responde: 
 – Porque me casei com o homem errado.
_______________________________________________________________________________
Duas mocinhas estavam conversando:
– Acabei tudo com o Roberto.
– É mesmo, Por quê?

– Ah! ele tinha uma porção de defeitos.
– E você devolveu a aliança de noivado?

– Não, a aliança não tinha defeito.
Não quebrarei a minha aliança, não alterarei o que saiu dos meus lábios – Salmo 89.34
.Autor desconhecido
Reflita nisso...

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Devo conhecer a Deus ?



Você já ouvi falar que o "fulano" é legal, que a "ciclana" é bonita, enfim ouvir falar é diferente de conhecer, obviamente imagino que já aconteceu contigo de falarem essas coisas de pessoas que você não conhece, e chegou na hora, não era nada do que falavam... ou não chegou a ser o que sua imaginação criou com a palavra dos outros.

Chegou a conclusão que não adianta só ouvir falar, melhor que isso é ir conhecer, ter sua experiencia pra saber não por palavras de terceiros e sim por sua conclusão do que viu... Assim é com Deus, não adianta só eu ouvir falar, é bacana, é legal, é lindo, é tudo de bom, sim, mas será que só ouvindo os outros você chegaria ter uma definição perfeita? não. Não creio que seja possível, afinal uns são bons demais em teoria, enquanto outros Ó conhecem por experiencia na pratica mesmo. 

E afinal o que eu ganho conhecendo a Deus?  tanto na pratica, quanto na teoria... ??

Em ti confiarão os que conhecem o teu nome; porque tu, Senhor, nunca desamparaste os que te buscam. Salmos 9:10
Acredito que a pessoa só se lança nos braços de quem conhece, pois após conhecer, gostar, vem a confiança. E a  promessa de Deus é que aqueles que o conhecem, e confiam n'Ele, no caso em sua palavra, nunca Ele vai desampará, então você deve sim conhecer a Deus, ter uma intimidade, confiar, e como Ele não pode mentir, a palavra vai se cumprir em sua vida.

Já deu tudo certo !

by Nelsinho A. Quintanilho

terça-feira, 7 de julho de 2015

PAPAI MANDOU CONSTRUIR UMA FORCA PARA MIM


Havia um homem muito rico que possuía muitos bens, uma grande fazenda, muito gado e vários empregados a seu serviço.
Tinha ele um único filho, um único herdeiro, que, ao contrário do pai, não gostava de trabalho nem de compromissos. O que ele mais gostava era de festas, estar com seus amigos e de ser bajulado por eles.
Seu pai sempre o advertia que seus amigos só estariam ao seu lado enquanto ele tivesse o que lhes oferecer, depois o abandonariam. Os insistentes conselhos do pai retiniam-lhes nos ouvidos e ele logo se ausentava sem dar o mínimo de atenção.
Um dia, o velho pai, já avançado na idade, disse aos seus empregados para construírem um pequeno celeiro e, dentro do celeiro, ele mesmo fez uma forca e, junto a ela um placa com os dizeres: “Para você nunca mais desprezar as palavras de seu pai”.
Mais tarde, chamou o filho, levou-o até o celeiro e disse: “Meu filho, eu já estou velho e, quando eu partir, você tomará conta de tudo o que é meu, mas sei qual será o seu futuro. Você vai deixar a fazenda nas mãos dos empregados e irá gastar todo dinheiro com seus amigos, poderá vender os animais e os bens para sustentar-se e, quando não tiver mais dinheiro, seus amigos vão afastar-se de você. E, quando você não tiver mais nada, vai arrepender-se amargamente de não ter-me dado ouvidos. É por isso que eu construí esta forca: sim, ela é para você e quero que você me prometa que, se acontecer o que eu disse, você se enforcará nela”.
O jovem riu, achou absurdo, mas para não contrariar o pai, prometeu e pensou que jamais isso poderia ocorrer.
O tempo passou, o pai morreu e seu filho tomou conta de tudo, mas assim com se havia previsto, o jovem gastou tudo, vendeu os bens, perdeu os amigos e a própria dignidade. Desesperado e aflito, começou a refletir sobre a sua vida e viu que havia sido um tolo. Lembrou-se do pai e começou a chorar e dizer: “Ah, meu pai, se eu tivesse ouvido os seus conselhos! Mas agora é tarde, é tarde demais”.
Pesaroso, o jovem levantou os olhos e avistou o pequeno celeiro, era a única coisa que lhe restava. A passos lentos, dirigiu-se até lá e viu a forca e a placa empoeirada, e disse: “Eu nunca segui as palavras do meu pai, não pude alegrá-lo quando estava vivo, mas, pelo menos desta vez, vou fazer a vontade dele, vou cumprir minha promessa, não resta mais nada”.
Subiu os degraus e colocou a corda no pescoço e disse: “Ah se eu tivesse uma nova chance..”. Então pulou, sentiu por um instante a corda apertar sua garganta , mas o braço da forca era oco e quebrou-se facilmente, o rapaz caiu no chão, e sobre ele caíram diamantes; a forca estava cheia de pedras preciosas e um bilhete que dizia: “Esta é sua nova chance, eu te amo muito. Seu pai”.

Honra a teu pai e a tua mãe… para que te vá bem, e vivas muito tempo sobre a terra – Efésios 6.2-3

Autor desconhecido.

domingo, 5 de julho de 2015

Pra que temer hein?!



10 Por isso não tema, pois estou com você; não tenha medo, pois sou o seu Deus. Eu o fortalecerei e o ajudarei; eu o segurarei com a minha mão direita vitoriosa.
11 Todos os que o odeiam certamente serão humilhados e constrangidos; aqueles que se opõem a você serão como nada e perecerão.
12 Ainda que você procure os seus inimigos, você não os encontrará. Os que guerreiam contra você serão reduzidos a nada.
13 Pois eu sou o Senhor, o seu Deus, que o segura pela mão direita e lhe diz: Não tema; eu o ajudarei. Isaías 41; 10 ao 13

E aí preciso escrever mais o que aqui nessa postagem???

Então deixo outra pergunta, depois de ler isso... e saber disso... Pra que temer hein????!!!!

Parti pra cima dos problemas, porque vai arrepender, a promessa é pra mim, é pra você, é pra nós que temos fé para tomar posse das promessas de Deus, lembre-se é Deus que te garante !!! lembra disso... quem tem que ter medo na verdade é quem ousar se levantar contra você !!!

Já deu tudo certo !!!!

Vitoria !!!

by Nelsinho A. Quintanilho.

sexta-feira, 3 de julho de 2015

Ótima analogia sobre vida após a morte


Um escritor húngaro explicou a existência do Deus invisível com uma ótima analogia:

No ventre de uma mãe havia dois bebês. Um perguntou ao outro: “Você acredita em vida após o parto?”
O outro respondeu: “É claro. Tem que haver algo após o parto. Talvez nós estamos aqui para nos preparar para o que virá mais tarde.”
“Bobagem”, disse o primeiro. “Não há vida após o parto. Que tipo de vida seria essa?”
O segundo disse, “Eu não sei, mas haverá mais luz do que aqui. Talvez vamos poder andar com as nossas pernas e comer com nossas bocas. Talvez teremos outros sentidos que não podemos entender agora.”
O primeiro respondeu: “Isso é um absurdo. Andar é impossível. E comer com a boca? Ridículo! O cordão umbilical nos fornece nutrição e tudo o que precisamos. Mas o cordão umbilical é muito curto. A vida após o parto logicamente está fora de questão.”
O segundo insistiu, “Bem, eu acho que há alguma coisa, e talvez seja diferente do que é aqui. Talvez a gente não vai precisar mais deste tubo físico.”
O primeiro respondeu: “Bobagem. E além disso, se há mesmo vida após o parto, então por que ninguém jamais voltou de lá? O parto é o fim da vida, e no pós-parto não há nada além de escuridão e silêncio e esquecimento. Ele não nos leva a lugar nenhum.”
“Bem, eu não sei”, disse o segundo, “mas certamente vamos encontrar a Mãe e ela vai cuidar de nós.”
O primeiro respondeu: “Mãe? Você realmente acredita em Mãe? Isso é ridículo. Se a Mãe existe, então onde ela está agora?”
O segundo disse: “Ela está ao nosso redor. Estamos cercados por ela. Nós somos dela. É nela que vivemos. Sem ela este mundo não seria e não poderia existir.”
Disse o primeiro: “Bem, eu não posso vê-la, então é lógico que ela não existe.”
Ao que o segundo respondeu: “Às vezes, quando você está em silêncio, se você se concentrar e realmente ouvir, você pode perceber a presença dela, e pode ouvir sua voz amorosa, lá de cima.”
– Útmutató a Léleknek

Fonte: Blog  Bispo Renato Cardoso 

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Um dia o sacrifício deu origem ao amor..



Um dia o sacrifício de origem ao amor, que amor seria esse, que antes passou por um sacrifício de alguém para existir? veja a resposta.

E Adão pôs os nomes a todo o gado, e às aves dos céus, e a todo o animal do campo; mas para o homem não se achava ajudadora idônea.
Então o Senhor Deus fez cair um sono pesado sobre Adão, e este adormeceu; e tomou uma das suas costelas, e cerrou a carne em seu lugar;
E da costela que o Senhor Deus tomou do homem, formou uma mulher, e trouxe-a a Adão.
E disse Adão: Esta é agora osso dos meus ossos, e carne da minha carne; esta será chamada mulher, porquanto do homem foi tomada.
Portanto deixará o homem o seu pai e a sua mãe, e apegar-se-á à sua mulher, e serão ambos uma carne.
Gênesis 2:20-24

Entendeu. o sacrifício de uma costela fez nascer a mulher e com o nascimento da mulher, foi gerado por ambos o amor(entre homem e mulher), dadiva do Criador.

Então entendemos que o sacrifício faz gerar o amor, assim como o amor, geralmente pede sacrifício. 
Quando lemos a cima que o homem deixaria pai e mãe. no caso, ele sacrifica ficar com sua parentela para se dedicar ao o amor que tem por sua mulher, tornado ela mais importante que seus pais. 

Amor + Sacrifício = Felicidade  

Sacrifício + Amor = Felicidade

Amor - Sacrifício = Infelicidade 

Sacrifício - Amor = Infelicidade 

Bom ta aí uma dica, para você que quer ser feliz, desde o principio é assim, então não tente alterar nem cortar caminho, chega de atalhos que não te levam a lugar algum...Faça a coisa certa, imagina se Adão não sacrificasse nem estaríamos aqui hoje. (risos)

by Nelsinho A. Quintanilho.