sexta-feira, 30 de dezembro de 2016

O BARQUEIRO E O “DOUTOR”



Conta-se a história de um barqueiro que ganhava a vida fazendo a travessia de viajantes num rio muito agitado.
Ele gostava do seu trabalho, o qual procurava fazer sempre com segurança e rapidez.
Certo dia apareceu um sujeito todo emproado, cheio de pose. Enquanto atravessavam o rio, o “doutor” resolveu humilhar o barqueiro com sua verborreia:
– O senhor sabe ler?– Não, senhor, não tive a oportunidade de aprender.– Ah, meu amigo, as maravilhas da escrita… o senhor nem sabe o que está perdendo. Posso lhe garantir que o senhor perdeu uma grande parte da sua vida por não saber ler.
O barqueiro ficou quieto, mas o “doutor” insistiu:
– Mas, fazer contas o senhor sabe, não sabe?– Não, senhor, nunca aprendi a fazer contas.– Ah, meu amigo, as maravilhas da matemática… o senhor perdeu mais uma grande parte da sua vida por não saber matemática.
Neste exato momento a canoa bateu em alguma coisa e vazou água. O barqueiro fez o que pode, mas não conseguiu estancar o vazamento. Então, disse para o seu passageiro:
– “Doutor”, tire os sapatos e o paletó, vamos ter que ir à nado e vamos ter que nadar bastante, pois a correnteza é forte neste lugar.– Mas, meu amigo, eu não sei nadar.– Não sabe nadar, “doutor”?– Não sei, não tive a oportunidade de aprender.– Ih, “doutor”, então o senhor perdeu a sua vida toda.


Porque o reino de Deus não consiste
em palavras, mas em poder.

I Coríntios 4.20

segunda-feira, 26 de dezembro de 2016

NO LEME NUNCA DEVE IR A EMOÇÃO


EXISTE UM ENORME PERIGO QUE AMEAÇA A SUA FAMÍLIA E QUE PODE DESTRUIR A SUA VIDA POR COMPLETO…

Hoje quero falar-vos de algo muito importante, que provavelmente tem acontecido na sua vida, sem sequer você se dar conta: sobre o perigo de deixar que as emoções como pais, filhos ou irmãos governem a sua família, e, consequentemente, destruam por completo a sua vida!
Sim, é uma realidade, você sabia que as emoções, tais como: a insegurança, os ciúmes, o medo, a raiva, o orgulho, a ansiedade, a tristeza, o egoísmo, as mágoas, etc., são 100% venenosas, e, a curto ou a longo prazo têm vindo a destruir milhões de casamentos, famílias e até mesmo países ao longo da existência da raça humana?
Mas, porquê?
Porque as pessoas têm deixado que as suas emoções controlem as suas ações, decisões, atitudes, quando deveria ser justamente o contrário. O nosso grande desafio como seres humanos é que, apesar de sentirmos (e muitas vezes de forma extremamente intensa) não devemos tomar decisões, agir ou reagir sobre elas, porque isso comprometerá os nossos relacionamentos tanto a nível conjugal, como familiar, social ou profissional.
Como combatê-las?
Só existe uma maneira de combater as emoções, que é usando a Fé-Consciente nos Mandamentos e Promessas do Deus Vivo-Jesus.
Repare que todas as vezes que nos deixamos levar pelas emoções, acabamos por nos ferir a nós próprios ou, eventualmente, decepcionamos a alguém profundamente… mas, de todas as vezes que usamos a nossa razão com respeito, amor, consideração, gratidão, esperança… ajudamos o nosso familiar a superar uma dificuldade e a evitar outros problemas.
Então, agora responda-me com sinceridade: no seio familiar, você tem usado as emoções ou a razão?
“Porque os os que se inclinam para a carne cogitam das coisas da carne; mas os que se inclinam para o Espírito, das coisas do Espírito.” (Romanos 8.5)

Julio Freitas

segunda-feira, 19 de dezembro de 2016

VOCÊ É UM ESPELHO - O que a música "Raridade" quer nos falar?


Com certeza você já ouviu a música "Raridade" do cantor Anderson Freire, mas você já prestou atenção no que a música diz? É isso que nós vamos tentar de uma forma simples e resumida explicar para você o que Deus tenta nos falar através dessa canção.

Muitas pessoas não atentam para o quanto nós somos preciosos diante de Deus, muitos até sabem que são preciosos diante Dele, mas mesmo assim, ainda é pouco para o tamanho da consideração e do valor que possuímos diante de Deus.

O refrão da música diz: "Você é precioso, mas raro do que o ouro puro de Ofir, se você desistiu, Deus não vai desistir. Ele está aqui para te levantar se o mundo te fizer cair".

Vamos entender por partes, quando a letra da música diz que "você é precioso, mas raro do que o ouro puro de Ofir", ela está se referindo a uma cidade chamada Ofir, local onde o ouro apresentava uma excelência superior que o diferenciava dos outros ouros.

O ouro é um objeto que até os dias atuais além de ser caro, não perde o valor. Enquanto em determinados momentos nós nos sentimos desprezados, humilhados e até mesmo sem valor, diante de Deus nós nunca perdemos o valor, e a opinião Dele sempre prevalecerá diante de qualquer outra opinião.

"Se você desistiu, Deus não vai desistir", Deus nunca vai desistir de nós mesmos, até se você desistir de si próprio, Ele vai lutar por nós até o último momento.

"Ele está aqui para te levantar, se o mundo te fizer cair", ou seja, você pode cair, mas Deus sempre estará pronto e por perto para te levantar.

Ouça atentamente o clipe com a música a seguir, e em seguida compartilhe para todos:

quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

O impacto dos filmes de terror


O impacto dos filmes de terror

Os filmes são a maneira perfeita para relaxar, mas mais do que uma forma de entretenimento, os filmes nos afetam física e intelectualmente sem que sejamos capazes de perceber isso; eles são capazes de transmitir ideias através da emoção e de neutralizar o instinto para reprimir sentimentos e desencadear o alívio emocional, ou seja, podem abrir portas que permanecem fechadas.

Efeitos físicos dos filmes de terror

O filmes de comédia ajudam a esquecer os problemas e a melhorar a sensação de bem-estar. Eles ajudam a fortalecer o sistema imunológico e diminuem os hormônios do estresse, que contraem os vasos sanguíneos.
Em contrapartida, as pessoas que adoram filmes de terror costumam ser aquelas que gostam de pular de pára-quedas e realizar aventuras perigosas, pois enganar a morte faz com que se sintam mais vivos; por isso, os filmes de terror oferecem-lhes a oportunidade de experimentar situações que não aconteceriam na sua vida.
Estes filmes afetam o corpo fisiologicamente aumentando o ritmo cardíaco, e em pessoas com doenças cardiovasculares podem aumentar a dor no peito e a pressão arterial; também podem causar um aumento dos níveis de adrenalina e cortisol, e o pior, desencadeiam recordações de eventos traumáticos que elas já experimentaram.

Efeitos psicológicos dos filmes de terror

Assistir a filmes de terror produz medo, ansiedade, insônia, fobias e traumas mentais, mas o efeito positivo de vê-los regularmente é que ajuda a dessensibilizar as pessoas que sofrem de ansiedade e medo.
Insônia
Este é um efeito psicológico imediato de ver filmes de terror, que pode permanecer por alguns dias, ou até mesmo meses, depois de ver o filme. Os pensamentos e as situações das personagens podem persistir desde algumas noites até longos períodos de tempo, podendo causar insônia e pesadelos que podem afetar a saúde mental e física.
Medo
A pessoa pode sofrer de medo do escuro, sentimentos de choro, gritos, tremores, náuseas e até medo de perder o controle e medo de morrer.
Ansiedade
É um efeito visível dos filmes de terror em crianças e adultos, e que poder persistir até a vida adulta, no caso das crianças.
Fobia
Presenciar certas situações no filme de terror pode desenvolver uma fobia em relação a animais (mamíferos, insetos, répteis, etc.), a catástrofes naturais, sangue, altura, espaços fechados e pode fazer com que a mente fique perturbada com ruídos fortes ou rostos desagradáveis.
Trauma mental
Algumas das imagens podem ser perturbadoras, tendo como resultado transtornos de estresse pós-traumático, especialmente em pessoas que se submetem aos sofrimentos dos acontecimentos na vida real.
Se uma pessoa desenvolver este transtorno após ver um filme, pode não ser capaz de criar uma linha entre a realidade e a ficção. As pessoas que querem ver e gostam de filmes de terror devem estar mentalmente estáveis, pois caso contrário poderão começar a sofrer de depressão.
Tratamento positivo: Dessensibilização
Ver um filme de terror tem algumas vantagens, pois tende a dessensibilizar em relação à violência, o que cria um impacto no comportamento da pessoa e a ajuda a ficar menos sobressaltada quando enfrenta situações complicadas na vida real. Estes filmes se convertem em uma ferramenta eficaz para o tratamento dos medos e das fobias.
Imagem cortesia de Gemma Bou/flickr.
autor do texto desconhecido.

sexta-feira, 9 de dezembro de 2016

A PARÁBOLA DA INDECISÃO




Havia um grande muro separando dois grandes grupos.

De um lado do muro estavam Deus, os anjos e os servos leais de Deus.

Do outro lado do muro estavam Satanás, seus demônios e todos os humanos que não servem a Deus.

E em cima do muro havia um jovem indeciso, que havia sido criado num lar cristão, mas que agora estava em dúvida se continuaria servindo a Deus ou se deveria aproveitar um pouco mais os prazeres do mundo.

O jovem indeciso observou que o grupo do lado de Deus chamava e gritava sem parar para ele:

– Ei, desce do muro agora… Vem pra cá!

Já o grupo de Satanás não gritava e nem dizia nada.

Essa situação continuou por um tempo, até que o jovem indeciso resolveu perguntar a Satanás:

– O grupo do lado de Deus fica o tempo todo me chamando para descer e ficar do lado deles. Por que você e seu grupo não me chamam e nem dizem nada para me convencer a descer para o lado de vocês?

Grande foi a surpresa do jovem quando Satanás respondeu:

– É porque o muro já é MEU!!!

Enviado por: Kamila Mauzer

terça-feira, 6 de dezembro de 2016

UM NOVO CORAÇÃO, É O QUE MUITOS PRECISAM !



20 E o que foi semeado nos lugares pedregosos, este é o que ouve a palavra, e logo a recebe com alegria;
21 mas não tem raiz em si mesmo, antes é de pouca duração; e sobrevindo a angústia e a perseguição por causa da palavra, logo se escandaliza.
22 E o que foi semeado entre os espinhos, este é o que ouve a palavra; mas os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.
23 Mas o que foi semeado em boa terra, este é o que ouve a palavra, e a entende; e dá fruto, e um produz cem, outro sessenta, e outro trinta.
MATEUS Cap. 13

Aqui podemos perceber 3 tipos de pessoas, que são identificadas pelo seu próprio coração, uma vez referido como um lugar e terra, aonde é lançada a semente, que nada mais é que a palavra de Deus. 

Corações pedregosos; são pessoas que tem o coração de pedra, por mais que escutem a palavra de Deus, ouça a pegação na igreja, na radio, televisão, enfim, seja lá a forma ou lugar que Deus usar alguém pra falar, ela aceita, porém não coloca nada em pratica, são palavras ao vento, apenas passam e ela logo se esquece do que aprendeu, tanto que uma vez que venha a injustiça ela logo desanima, se escandaliza com qualquer coisa que vê ou escuta, uma pessoa fraca na fé, de pedra só o coração mesmo, mas ela infelizmente não é, e nunca será forte como uma rocha nem de longe por causa de seu coração duro.

Corações entre os espinhos; São aquelas pessoas que tem um coração aflito, sufocado, ela até ouve a palavra de Deus, concorda, aceita, faz votos, ela é dizimista fiel, porém é facilmente seduzida, sempre vem uma proposta que pode afastar ela de Deus, e ela não é forte o suficiente para dizer não para o pecado, ela acaba sedendo a pressão do mundo cedo ou tarde, é o famoso crente Raimundo um pé na igreja e o outro no mundo. Então acaba por não dar frutos, a semente não floresce, sempre será apenas uma semente, nunca se tornará uma arvore de bons frutos, enquanto desejar no seu intimo as coisas do mundo.

Corações considerados boas terras; Esse não precisa falar muito, seu coração não é de pedra, muito pelo contrário ele está sempre sensível as vontades de Deus, não existe espinhos o sufocando, pois já está liberto do pecado, e dos desejos das coisas do mundo, ele ouve e entende perfeitamente a palavra de Deus além de dar frutos, o coração tem sim desejo em fazer a vontade de Deus que é ganhar almas, sua ambição é essa e não nas coisas dessa terra. 

Se ao ler esse texto, você percebe que tem um coração de pedra ou com espinhos ao redor, então corra para pedir a Deus um novo coração, você não é um caso perdido, não desiste de você, porque Deus não desistiu ao ponto de você estar lendo isso agora.  O mesmo Deus que deu vista ao cego, que fez o mudo falar, o surdo ouvir, Ele pode te dar um novo coração é só pedir !

E dar-vos-ei um coração novo, e porei dentro de vós um espírito novo; e tirarei da vossa carne o coração de pedra, e vos darei um coração de carne. Ezequiel 36:26

by Nelsinho A. Quintanilho  

sábado, 3 de dezembro de 2016

O BISCOITO DO ARREPENDIMENTO



Conta-se de um evangelista que se deparou com um sujeito que veementemente negava ser um pecador.

Ele escapulia de todas as tentativas do homem de Deus de convencê-lo de seus erros:
– Eu sou um bom pai, um bom marido, um bom vizinho, um bom cidadão. Sou honesto e trabalhador. Cumpro minhas obrigações. Não tenho do que me arrepender!

Em dado momento da conversa, o Espírito Santo sussurrou no ouvido do evangelista: ” – Pergunte para ele sobre o biscoito”. Assustado, em pensamento, o crente questionou o Espírito Santo: ” – Biscoito? Que é isso meu Senhor?” E a voz do Espírito repetiu-se: ” – Obedeça-me. Pergunte-lhe sobre o biscoito”.

– Então, você não tem mesmo nenhum pecado?
– Não, sou um homem correto. Não tenho do que me arrepender!
– Bem, Deus manda-me fazer-lhe uma perguntar esquisita, eu não sei o que é, mas creio que você deve saber. O Espírito Santo de Deus pergunta: “- E o biscoito?”

Uma facada no estômago não teria lhe causado dor maior. O homem se contraiu todo, lágrimas abundantes correram por seu rosto e ele começou a soluçar:
– Bis-coito, que bis-coito?

E o evangelista repetiu a pergunta. E o homem levou outro choque, ainda maior. E soluçava mais ainda:
– Que bis-coi-to? Que bis-coi-to?

Depois que conseguiu se acalmar, contou para o evangelista que quando ele era criança sua família era muito pobre e sua mãe mantinha os biscoitos à chave, pois a provisão devia durar um mês inteiro. Mas ele sabia onde a mãe escondia a chave e a pegava escondido, comia os biscoito e tornava a colocá-la no lugar.

Um dia, desconfiada, sua mãe reuniu os filhos e “apertou-os”, tentando descobrir o que estava acontecendo. Seus irmãos juraram para ela, às lagrimas, que não tinham nada a ver com isso. E ele não só negava ter sido o autor do roubo como ainda acusava seus irmãos e os xingava de falsos e fingidos.

Anos depois, sua mãe veio a falecer e ele nunca teve coragem de confessar o seu pecado. Até aquele dia.

Se dissermos que não pecamos, fazemo-lo mentiroso, e a sua palavra não está em nós – I João 1.10

Autor desconhecido.